TV DIA

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Adolescente pede socorro à polícia escondida no quarto: “Lázaro está aqui”

Adolescente pede socorro à polícia escondida no quarto: “Lázaro está aqui”

Uma adolescente de 16 anos que foi mantida refém junto com os pais em Cocalzinho de Goiás por Lázaro Barbosa, suspeito de matar uma família em Ceilândia, no DF, enviou mensagem à polícia escondida no quarto, na terça-feira (15), o que fez com que fossem resgatados sem ferimentos. Após a chegada dos policiais, ele fugiu novamente e segue sendo procurado pela força-tarefa. “Socorro, Lázaro está aqui em casa”, diz o texto enviado pouco antes de ser levada para o mato.

Segundo o delegado Raphael Barboza, uma equipe de policiais dormiu na residência na noite anterior ao sequestro. A intenção era justamente limitar a área de atuação e fuga do suspeito. Mas a forma como Lázaro invadiu a propriedade, de acordo com o investigador, mostrou que ele Logo após o sequestro, uma parente da família enviou áudio para outros familiares avisando que eles estavam bem e relatou o momento de desespero.

“A gente ficou sabendo que o bandido estava lá e depois não conseguiu mais falar com eles porque o homem jogou os telefones no rio. Ele falou que ia matar os três. Quando viu o helicóptero, tampou eles com folhas e se escondeu embaixo de pedras. Mas o cara conseguiu fugir ainda”, contou. O suspeito roubou dois celulares da família, incluindo o da adolescente que enviou a mensagem com pedido de socorro.

Na terça-feira (15), a polícia chegou a encontrar Lázaro em uma área de mata. Houve confronto entre o fugitivo e dois policiais, que foram atingidos de raspão em momentos diferentes do dia. O primeiro policial foi ferido pela manhã, no povoado de Edilândia, que fica na região de Cocalzinho.

O segundo foi baleado por volta das 15h, na mesma região. Os bombeiros informaram que ele é um sargento da Polícia Militar e foi atingido de raspão no rosto. A corporação disse ainda que o militar foi encaminhado consciente e de helicóptero para um hospital de Anápolis, a 55 km de Goiânia. Ainda continua foragido.

Fonte G1